3 Obstáculos no Emagrecimento

Quando começa um processo de emagrecimento, deve ter em mente que a motivação inicial tende a vacilar não por falta de força de vontade mas porque de facto vai encontrar obstáculos que são verdadeiros desafios à sua resiliência.

1. O Plateau

A perda de peso nos primeiros tempos pode ser mais ou menos rápida mas a sua motivação ainda não faz com que se canse de “fazer a coisa certa”. Mas com o tempo o progresso é cada vez mais lento…

Quanto mais massa gorda tiver para perder, menos alterações vai ver no princípio mas o seu potencial é maior porque pequenos passos têm maior impacto nos meses iniciais. À medida que vai transformando o seu corpo, precisa de fazer mudanças cada vez mais radicais para continuar a ver resultados.

E chega um dia em que há uma estagnação… não mexe nada. Este é o ponto de viragem, é aqui que decide se quer “desistir” agora ou continuar e ir mais além.

Recomendações:

Avalie o progresso cada 4-6 semanas, não se entusiasme com resultados em 1-2 semanas e não menospreze a evolução. Se comparar os resultados do dia 0 com os do dia 28 ou 42, se está no caminho certo, há uma evolução positiva e essa deve ser uma motivação para continuar.

2. “Tripping point” 

Num dado momento do seu processo vai querer mandar tudo às urtigas e vai ter um “pig out”, faz parte.

Se “aceitar” o que manda o seu instinto, vai deitar o que fez até aqui para trás. Pergunte-se a si mesmo/a:

  • Vai sentir-se melhor depois dessa batota?
  • Resolve o seu problema?
  • Tem uma alternativa? Como controlar uma “porção” da batota e ficar-se por aí? As tais “cheat meals” agendadas ou batotas devidamente pensadas em família, etc.

 

3. O ajuste certo 

Nem sempre passa por cortar mais calorias, lembre-se do ponto 2. Se está com um défice energético severo e já está a vacilar, tirar 200-300kcal pode ser um tiro no pé, pondere então gastar mais… mais uma sessão de treino por exemplo ou aumentar a actividade física espontânea.

Recomendações

  • Tente passar o mínimo de tempo possível sentado/a, comece a fazer pequenos passeios a pé em momentos curtos do dia. Este vídeo do Salgueiro explica esta ideia muito bem aqui 
  • Se faz exercício cardiovascular, aumente a dificuldade do mesmo introduzindo resistência no aparelho ou a velocidade.
  • Se costuma fazer circuitos de treino, introduza cardio como descanso activo.

 

Se apenas “tirar calorias”, vai chegar a um ponto onde não tem mais do que tirar e os seus níveis de energia estão cada vez piores.

Quanto mais fácil melhor, e não se esqueça daquelas “asneiras” esquecidas na típica desculpa como expliquei no artigo de comportamento em restaurante 

Esta entrada foi publicada em Nutrição com as tags , , , , , , . ligação permanente.