Como funciona o acompanhamento online? – Parte I

O primeiro que deve ter em conta quando procura o acompanhamento de um profissional é que o objetivo dessa etapa, que pode ser mais ou menos longa, deve ser o de optimizar o que tem feito e o de aprender novas estratégias para o futuro. Nunca, em momento algum, deve encarar o que aprende num acompanhamento seja de 30, 60, 90 dias ou de 1 ano como algo estanque que só serve naquele momento. Ainda assim este tipo de serviço levanta dúvidas por isso é importante saber como funciona e o que pode estar. 

O início

Uma vez demonstrado o seu interesse em prosseguir com o serviço, deve fornecer o máximo possível de informação sobre

  • Estado de saúde geral (análises clínicas, medicação, algum problema que tenha a nível digestivo, etc.)
  • Suplementação que toma (se tem dúvidas sobre se deve ou não tomar pode referir)
  • Prática de actividade física (horário, modalidade, duração média de um treino, dificuldades em seguir o plano de treino)
  • Alimentação actual – uma descrição o mais detalhada possível do que come
  • Dificuldades em cumprir o plano

Não escreva por favor “prato de comida” ou “carne ou peixe com acompanhamento” porque isso diz zero… e dificulta que o seu plano seja personalizado e realmente enquadrado na sua realidade. Se tiver menus de cantinas ou restaurantes típicos a que vá pode citar para facilitar o aconselhamento.

Por vezes o profissional, e falo por mim, pode ser bastante chato a fazer as perguntas e quer ir o mais fundo possível até ter a certeza que tem a informação necessária. Um profissional responsável não vai avançar se não tiver a certeza de que consegue fazer um plano adequado à pessoa. Ou então vai referi-lo no envio do plano.

O primeiro contacto com o plano

É perfeitamente normal, depois de receber o plano ter questões. Normalmente o que recomendo é que a pessoa analise o plano todo e veja se há algo que logo à partida não consiga fazer. Se não identificar nada, deve pôr o plano em prática 1 a 3 dias e ver que dificuldades tem em seguir.

Normalmente há sempre aqueles detalhes que para uns parecem lógicos e para outros não, faz parte. Não há perguntas tolas, as perguntas tolas são as que não se fazem.

Nos primeiros tempos, vai ter mais questões e sobretudo vai testar a sua capacidade de seguir ou não o plano, o conselho é que registe

  • as dúvidas para tirar depois num mail , assinale no plano ou num bloco
  • o que gostaria de ver no plano que não está para ser inserido
  • e o que ainda não consegue cumprir mas reflicta no porquê (não tenho tempo para preparar/para comer não é um motivo, é uma desculpa)

Brevemente a parte II AQUI

Esta entrada foi publicada em Nutrição com as tags , , , , , . ligação permanente.