Como funciona o Acompanhamento online? Parte II

O contacto com o profissional deve ser frequente, deve dar um follow up semanal ainda que possa ir tirando dúvidas com maior frequência. No entanto, o follow up não é apenas mandar peso e medidas ou dizer “está na mesma”, esse é dos feedbacks mais frustrantes que alguém vai receber e pior do que isso não pode fazer absolutamente nada com essa informação. Aprenda a dar feedback, vai perceber que é fundamental até para saber auto-avaliar-se. 

Um bom feedback 

Além dos resultados óbvios: peso , medidas e fotos se aplicável deve responder a perguntas que permitam uma reflexão sobre o que está a correr bem (e a resultar),o que ainda não consegue fazer ( e os porquês, podem ser barreiras no plano ou podem ser crenças suas) e o que não está a gostar ou a cumprir de todo.

No meu acompanhamento online por vezes aplico um questionário objetivo, quando sinto que é necessário ter respostas mais assertivas e outras eu mesma faço as perguntas de uma forma mais liberal. Depende da pessoa, depende da forma como lida com as minhas perguntas e como lhes responde.

Por vezes pode sentir que só estamos a empatar com tantas perguntas, mas se não chegamos ao fim da questão como podemos dar-lhe a melhor solução? O seu plano e os ajustes necessários não dependem do alinhamento dos planetas, dependem de si.

Ajustes no plano

Os ajustes no plano podem acontecer ao fim de 7 dias, ao fim de 14 dias, ao fim de 30 dias ou mesmo ao fim de 60, 90 dias.

O plano alimentar que foi feito não é uma dieta, logo não é para ser seguido apenas Y dias, não tem prazo de validade. Podia até seguir o resto da sua vida e ajustar apenas quantidades. Por um motivo muito simples, a sua alimentação faz parte de um conjunto de hábitos e demoramos 66 dias a mudar um hábito por isso se comia de maneira X há tanto tempo, agora para implementarmos alguns detalhes extra temos de deixar os hábitos instalarem-se.

Mudam-se: as quantidades, insere-se uma ou outra variedade, trabalha-se a gestão das asneiras entre tantas outras coisas que não implicam mudar o plano do 8 ao 80.Dietas para todas as semanas funcionam bem em alguns modelos comerciais de emagrecimento que numa semana põem só alface e na outra só tomate, não é esse o tipo de plano que vai receber.

O trabalho invisível

O essencial é invisível aos olhos, por vezes acha que apenas importa o plano alimentar que está a seguir mas há muito mais trabalho do que esse por exemplo:

  • Gestão das asneiras: vai ter uma estratégia específica para seguir e mais do que isso vai saber , quando lhe pergunto que batotas fez, como identificar melhor o que falta alinhar
  • Variedade: vai saber inserir coisas diferentes no seu dia a dia e que tornam a alimentação mais prazeirosa
  • Relação positiva com a comida: vai deixar de estar sempre a pensar em comer, se está ou não no caminho certo, e se aquele alimento é do bem ou do mal. Vai perceber que tudo tem um lugar e não vai sentir necessidade de questionar cada garfada. A menos que não se deixe levar pela onda pedagógica do plano.

 

Mais sobre isto na parte III brevemente

 

Esta entrada foi publicada em Nutrição com as tags , , , , , , . ligação permanente.