Como funciona o acompanhamento online? Parte III

Esta terceira parte é dedicada a esclarecer algumas perguntas frequentes que surgem no primeiro contacto. Lembre-se que se trata de uma relação de confiança, o profissional confia em si para lhe dar toda a informação para poder fazer um bom trabalho, cabe-lhe a si confiar no profissional até para dizer o que não corre tão bem.

3 perguntas que se respondem em conjunto

  • Aplica-se a atletas de musculação?
  • Qual o tipo de dieta que passa?
  • Posso comer no restaurante ou tenho de levar comida de casa?

O plano é totalmente aplicado à sua realidade, objetivo e características. Por isso adapta-se ao seu desporto, ao seu objetivo de trabalho do corpo, aos alimentos que ingere frequentemente (tentamos melhorar as escolhas) e às dificuldades que tem em seguir um plano. Não há nenhuma dieta chapa 1 para um tipo de atleta , chapa 2 para outro tipo de pessoa, chapa 3 para os que nunca querem fazer nada. Isso não é fazer nutrição!

  • Vou saber os meus macros e kcal para ingerir? 

Deixo este ponto bem assente, há por aí actualmente uma moda de usar números e macros para definir estratégias nutricionais. Nada contra mas grande parte das pessoas que o prescreve não é nutricionista (felizmente). Não faço isso, não dou esses dados, essa informação faz parte do meu trabalho.

Um nutricionista estudou para conhecer os alimentos, os nutrientes, as necessidades e a pessoa e equilibrar tudo isso num plano que tem refeições, alimentos , porções e combinações. Deixar a pessoa com números pode ser excelente para uma pessoa disciplinada mas então não era preciso um curso… há muitos manuais a ensinar isso por essa net fora mas os números não definem uma pessoa e é necessário ter em conta um bom equilíbrio nas escolhas alimentares, na variedade implementada e nas combinações recomendadas.

Se quiser introduzir o plano num programa de registo de alimentação, tudo bem mas se alterar a prescrição que lhe foi feita tanto nas porções como alterando os alimentos recomendados, assume a responsabilidade na falta de resultados ou se algo correr menos bem. E o profissional, se tiver brio no seu trabalho, reserva-se ao direito de suspender o acompanhamento.

  • Tenho de tomar suplementos?

Já falei sobre suplementação em artigos recentes, o mais importante quando lhe é recomendado um suplemento é que se é um profissional habilitado está a recomendar algo que realmente vai ajudar e vai explicar o porquê. Se tem de tomar? Não, mas como em tudo assume as consequências de não seguir a prescrição.

  • Quanto tempo tenho de manter o acompanhamento?

Depende… dos seus objetivos, vontade, disciplina, compromisso. Pode até beneficiar de ter acompanhamento 2 ou 3 meses, depois ficar por sua conta a seguir o mesmo plano e voltar mais tarde para poder ter nova afinação.

O objetivo do plano é instaurar uma certa rotina na sua alimentação, definir metas e alguns cuidados essenciais de acordo com os princípios de uma alimentação equilibrada. Poderia seguir o plano anos, mas naturalmente que vai ter de adequar porções aos objetivos e à medida que vai melhorando o cumprimento do plano pode querer mais variedade, mas só por isso.

Esta entrada foi publicada em Nutrição com as tags , , , , , . ligação permanente.