Não Faça Dieta!

A língua portuguesa é provavelmente a única em que o termo “Dieta” tem um significado distinto dos demais idiomas.

Em inglês, castelhano e outras línguas quando nos referimos a dieta, falamos da alimentação habitual da pessoa mas em português o significado de Dieta é mais limitado e refere-se a um regime alimentar destinado a actuar como coadjuvante de uma terapêutica para uma dada patologia, incluindo-se aqui a Obesidade.

Adicionalmente, importa ter em conta que o termo Dieta em português implica algo temporário, ou seja, que logo que começa o indivíduo sabe que vai ter fim. Por isso mesmo, quem faz dieta seja para controlar o peso ou emagrecer, tende a conseguir fazer algumas restrições durante algum tempo mas não modifica os hábitos a longo prazo. Acaba, por isso, por perder o seu tempo porque o peso tende a voltar e implica novamente o regresso à restrição.

Além disso, uma Dieta envolve desde logo uma restrição pela negativa, ou seja, no lugar de aprender a comer, tem uma lista de proibições que envolvem inevitavelmente a exclusão de um conjunto de alimentos e muito sacrifício. Não ensinam o indivíduo a inserir esses alimentos de forma ponderada e equilibrada nas excepções da vida e por isso desenvolvem uma relação “patológica” com os mesmos, quando comem acabam por ultrapassar o razoável.

A somar a isto tudo, é importante ter em conta que fazer uma restrição excessiva durante tempo prolongado também tem consequências negativas se pretende emagrecer nomeadamente pelos seus efeitos fisiológicos e metabólicos. O efeito mais directo é simples, diminui a sua Taxa metabólica basal, ou seja, afecta o dispêndio energético do seu corpo mesmo em repouso. O seu corpo passa por isso a ser mais poupado, o que faz com que diminua o gasto calórico mais significativo do seu dia e por isso ainda dificulta mais o processo de controlo de peso e emagrecimento.

Por tudo isto, não faça dieta, como li uma vez num livro do Dr. Themudo Barata “Dieta é para Doentes e só dura 3 dias”.

Esta entrada foi publicada em Nutrição com as tags , , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta